Ultimas por aqui

Arquitetura coreana 한국 건축

Arquitetura  coreana 한국 건축

Para quem gosta da cultura coreana, uma das coisas que chamam muito nossa atenção é a arquitetura da Coreia do Sul. Eu como engenheira que sou, fico totalmente encantada com toda concepção do pais, e a incrível mistura do tradicional e moderno, que enche os olhos de quem vê a cidade. A arquitetura tradicional pode ser vista nos palácios e templos, casas antigas preservadas chamadas hanok e locais especiais como a Vila Folclórica Hahoe, a Vila Yangdong de Gyeongju e a Vila Folclórica Coreana. Já na capital do pais, Seul, é um referência tecnológica em todo o mundo, com incríveis e magnificas construções e arranha céus estão presente com toda sua imponência. 


Lares tradicionais coreanos : Hanok 한옥

É impossível alguém que gosta da cultura coreana, não conhecer as famosos lares tradicionais coreanos, conhecidos como “Hanok”  한옥, que significa “casa ideal”, que se desenvolveu durante a dinastia Joseon (Joseon Jip), no século XIV. Como tudo envolvendo a cultura do país, ate o posicionamento das casas foi planejado de acordo com princípios relacionados a terra e as estações. O chamado "Baesanimsu배산임수, que significa que uma casa deve ser construída com uma montanha atrás e um rio em sua frente (o que facilitava o acesso à água e possibilitava a harmonia com a natureza). A vertente foi se desenvolvendo aos poucos durante os 500 anos da dinastia, mas sempre teve como objetivo adaptar as casas à natureza que as cercava, proporcionando maior aconchego e proteção aos moradores. 

Outras características marcantes das construções é o ondol 온돌, um sistema de aquecimento que distribui o calor da lareira na cozinha para o piso de pedra da casa inteira. Com o rigoroso inverno coreano, pode se ver a importância deste para o bem estar dos coreanos. 

Imagens do drama coreano: Reply 1988

(Com certeza você já viu os coreanos comendo e dormindo no chão, principalmente no inverno nos dramas ... esse é o motivo: cão quentinho).

Durante o verão, os cômodos ficam frescos devido a varanda na frente que refresca a parede e alivia o calor do sol; e a sala que geralmente fica no meio da casa e tem um piso elevado permitindo a circulação de ar.  As casas também utilizavam giwa 기와, um tipo de telha feita de barro cozido. Por utilizar telhas giwa, hanok desenvolveram sua forma específica. Conheça outras caracteristicas do Hanok neste artigo


Atualmente, menos de 1% dos lares coreanos tem esse visual Hanok, mas esta havendo uma busca em conciliar o moderno com o antigo, o conceito de harmonia com a natureza. Há arquitetos contemporâneos que prezam por manter viva esta tradição, incorporando traços tradicionais nas construções modernas, tanto em estabelecimentos públicos quanto nos privados. Além disso, muitas pessoas acreditam que essa construção ajuda na cura de doenças causadas pelo ambiente. 
Outra coisa importante a se ressaltar sobre a coreia do sul, é seu relacionamento com o meio ambiente, com edifícios fazendo uso de fontes de energia renováveis, além do incrível (incrível mesmo) sistema de coleta de resíduos do país. Existem projetos como o da cidade de Songdo para criar um município completamente tecnológico do zero.

UM RESUMO RAPIDO DE COMO SE FORMOU A ARQUITETURA COREANA .... 

A arquitetura do país foi dada através de muitos acontecimentos marcante da história. A construção e a destruição foram repetidas indefinidamente, resultando em uma mistura de designs arquitetônicos. Entre os acontecimentos mais importantes na concepção da arquitetura coreana podemos listar desde colonialismo, guerras e a divisão da península, desenvolvimento industrial, acordos diplomáticos, desenvolvimento cultural e esportivo. 

No período colonial (1910–1945), houve tentativa de imposição das tradições arquitetônicas japonesas, que resultou na demolição de relevantes elementos arquitetônicos da época e estruturas do palácio imperial coreano, jardins e elementos paisagísticos. Entre os anos de 1950 e 1953, a Coreia viveu uma intensa fase de guerra civil, onde a cidade de Seul sofreu inúmeras invasões e alternância de comando entre os poderes norte e sul-coreano, que resultou num país devastado. 

Depois do término da segunda guerra mundial, chegou ao fim o período de colonização japonesa, e a península da Coreia foi dividida em lado norte e sul, este último com a influência americana, incorporando tendências e estilos arquitetônicos modernos ocidentais. Durante a fase de desenvolvimento com a necessidade de grande quantidade de moradias, elas eram feitas em grande escala, simples, baratas e sem muita estética ou senso histórico arquitetônico, com isso demolindo grande parte das aldeias hanok.

Outro acontecimento importante na arquitetura coreana foi sediar, entre outros eventos de esportes, os Jogos Asiáticos de 1986 e os Jogos Olímpicos de 1988. Essas indicações fomentaram novamente a construção civil e o desenvolvimento urbanístico na Coreia do Sul. 


PATRIMÔNIO MUNDIAL NA COREIA DO SUL

Para falar da arquitetura coreana, não podemos deixar de citar a lista de propriedades inscritas na UNESCO, onde a arquitetura tradicional é preservada.  A Coreia do Sul tem onze patrimônios culturais e um patrimônio natural listados:

Gruta de Seokguram e Templo de Bulguksa: foram construídos ao longo de um período de 23 sendo que a construção teve início em 751 durante o Reino Silla pelo ministro-chefe Kim Dae-Seong (701-774). O Templo Bulguksa era para o culto público e o Templo Seokguram para o culto privado do rei. A Gruta Seokguram passou por vários momentos de renovação ao longo dos anos. É uma caverna de pedra artificialmente criada que caracteriza um grande Buda sentado cercado por 38 Bodhisattvas. A gruta, como as estruturas na proximidade de Bulguksa, é feita de granito.

Templo de Haeinsa e o Janggyeong Panjeon - Deposito dos blocos de madeira Tripitaka Koreana: 

Haeinsa é um templo budista construído no ano de 802 em Gyeongsangnam, na Coreia do Sul. Aqui, no Janggyeong Panjeon, está guardado o Tripitaka Koreana, a mais completa colecção de textos budistas, gravada em 80.000 blocos de madeira. O templo inclui também vários tesouros nacionais da Coreia do Sul. O Tripitaca Coreana é a coleção mais completa de textos budistas, gravada em 80.000 blocos de madeira entre 1237 e 1249. Foram construídos no Templo de Haeinsa os edifícios de Janggyeong Panjeon no século XV para abrigar os blocos de madeira.

Santuário de Chongmyo:  é o mais velho e mais autêntico dos santuários reais confucianos que foram preservados. Consagrado aos antepassados da dinastia de Choson, tem atualmente o aspecto que tinha no século XVI e abriga tabuletas que registram os ensinamentos da família real anterior. Cerimónias rituais que ainda unem música, canção e dança acontecem lá, perpetuando uma tradição que vem do século XIV.

Complexo de Palácios de Changdokkgung (1997): é um conjunto de palácios dentro de um grande parque em Seul, Coreia do Sul. é um dos cinco grande palácios construidos pela dinastia de Choson e, por causa da sua localização a este do palácio de Gyeongbok é muitas vezes chamado Palácio de Este. Ch'angdokkgung era o palácio preferido de muitos reis da dinastia de Choson e deteve muitos elementos coreanos datados do período dos Três Reinos da Coreia que não foram incorparados no mais formal Gyeongbokgung. 

Fortaleza de Hwasong: está localizada na cidade de Suwon, Província de Gyeonggi-do ao nordeste da Coreia do Sul, distante, ao norte, da capital, Seul, quarenta e dois quilômetros. Foi erguida entre os anos de 1794 e 1796 pelo Rei Jeongjo da Dinastia Joseon, transferindo para o local, em honra e como abrigo, os restos mortais do seu pai o Príncipe Jangheon.

Áreas Históricas de Gyeongiu: As áreas históricas incluem as ruinas de templos e palácios, pagodes e estatuária, e outros artefatos culturais deixados pelo Reino de Silla, como o Monte Namsan, Wolseong, o parque de Mamoa e Hwangnyongsa.

Sítios dos Dólmenes de Gochang, Hwasun, e Ganghwa: são sítios na Coreia do Sul onde se encontram centenas de dólmenes que serviram para marcar sepulturas e para fins rituais durante o primeiro milénio a.C., quando a cultura megalítica estava proeminente na península da Coreia.

Ilha Vulcânica e Tubos de Lava de Jeju: Na ilha de Jeju fica o Halla-san (ou Hallasan), a mais alta montanha da Coreia do Sul, que é um vulcão adormecido que atinge 1950 metros de altitude. A atividade vulcânica em Jeju começou aproximadamente no Cretáceo e terminou aproximadamente no Terciário. A última atividade vulcânica registada ocorreu há aproximadamente 800 anos. Baengnokdam, a cratera e lago no pico do Halla-san formou-se há cerca de 25 000 anos.

Túmulos Reais da Dinastia Joseon: 조선왕릉 - são um grupo de tumbas de membros da dinastia Joseon de Coreia (1392-1910). 

Aldeias Históricas da Coreia: Hahoe e Yangdong: Essas duas Vilas são as mais bem preservadas e foram utilizadas pelo yangban (classe nobre dominante) durante o período Joseon e, juntas, são consideradas o epicentro da cultura confuciana da Coréia. Além de seu arranjo espacial único, as aldeias mantêm arquivos preciosos e obras de arte da Era Joseon Confucionista e são alguns dos poucos lugares que ainda mantêm rigorosamente a família tradicional, os rituais e eventos comunitários.

Namhansanseong: literalmente "Fortaleza da Montanha Han do Sul" -  é um parque localizado em uma elevação de 480m acima do nível do mar, ao sudeste de Seul, Coreia do Sul. Contem fortificações que datam do Século XVII, e alguns templos. Pode ser acessado tranquilamente de Seul pela Namhansanseong Station da Linha 8 do Metrô de Seul.

Local do antigo reino de Baikie (2015) – partilhado com a Coreia do Norte

Mosteiros budistas de Sansa 

Seowon, Academias Neo-Confucionistas: As “Seowon” eram instituições particulares de educação criadas para a formação de jovens estudantes escolhidos pelos Sun-bi, eruditos  da Dinastia Choseon. Estas academias tiveram um papel fundamental na divulgação do Neo-Confucionismo e na formação da opinião pública.


Da uma tranquilidade saber que estes locais serão preservados <3 

Eu sigo planejando minha viagem dos sonhos para a Coreia do Sul, e desejo conseguir visitar o máximo que eu puder, de todos estes incríveis lugares. Mas confesso que o local que mais quero visitar é a Namsam Tower e a gigantesca e incrível biblioteca Starfield


É isso, até a próxima :)

안녕 !

FONTES: aqui - aqui - aqui 

3 comentários:

  1. É bom saber que eles prezam por preservar seu patrimônio! A arquitetura vernacular deles é incrível e a busca por inovação e tecnologia é um exemplo! hahaha Sensacional! Também é meu sonho conhecer a Coreia!

    Curti demais seu blog, ganhou mais uma seguidora!

    안녕히 계세요! ♥

    ResponderExcluir